sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Ode a amizade.


Amizade não se procura exaustivamente. Elas simplesmente acontecem! Em determinados momentos de nossas vidas, vivemos e encontramos pessoas que temos algumas afinidade ou até pouca afinidade, mas algum motivo estranho, nos faz confiar.


Esses são os seus amigos. Os anos se passam, e infelizmente muitos se perdem no tempo. Para aqueles que se foram ou se afastaram, sempre deixam algo, nem que seja simples saudade.


São irmãos e irmãs que não escolhemos (relativamente). Eles cruzam pelos nossos caminhos de forma inesperada e mudam todo o percurso restante. Não possuem o vínculo consanguíneo, mas partilham de algo que se reflete como a alma.


Temos nele, os opostos e as semelhanças. Temos neles diversos defeitos e qualidades. Temos a partilha da dor e a celebração da alegria. Temos todos os momentos que pudermos ter.
Raramente agradecemos com tamanha sinceridade. Dificilmente reconhecemos o bem que nos fazem. Seria até “desumano”, reconhecer tantas qualidades. Seria humanamente estranho abrir tantas emoções e dizer o que sente...ou talvez um simples “obrigado!”


Nesse caminho nos encontramos, e se por algum motivo existir mágoas, só cabe o pedido sincero de perdão. Se por algum motivo não fizemos o suficiente, um pelo outro, tentaremos refazer no futuro.
Quando o tempo se passa, quando tudo parece mudar a sua volta, ainda sim, existem aqueles poucos em que se pode confiar. Há com quem contar.


Todas as verdades e mentiras. Esses estranhos que chegaram aos seu ninho. Esse novo mundo que acaba de conhecer.
É um prazer, ter bons amigos. Assim como uma boa família, cultive-os da melhor forma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget