sábado, 18 de setembro de 2010

Correndo atrás de um sonho


Correndo atrás de um sonho. Correndo por causa dos sonhos.
Os pés juntos no chão, estão presos, impedindo chegar as nuvens.
O chão é quente e cheio de pedras pontiagudas.
Fugir do contraste, sentir o drama. Ser parte do que não gosta e alegrar a massa.
Que massa? Onde está a encefálica dessa massa?! Apenas mais um motivo para tentar voar.

Correndo atrás do sonho. Vida abstrata.
Ideologia voa pela janela. Sem demora, com pouca esperança.
O que sobra para amanhã é o almoço de hoje. Futuro abstrato.
Quase nada de preocupação. Só o mundo se desmoronando.
Cabe a alguém a arrumar, mas quem seria eu?

Vida moderna, corrida e estafante.
O que sobra do sonho de ontem. O que sobra de sonho para hoje.
O mundo é contínuo na sua mudança. A montanha persegue Maomé constantemente.
Até as nuvens estão mais perto do chão ultimamente. Nuvens negras!
Em busca de um ideal. Em busca contínua de quebrar os dogmas tão dogmáticos....

Tanto seu. Tanto mundo. Teus sonhos não se realizarão. Então, porque persistir?
É só para voar, é só tão somente só, para voar. Essas nuvens, esses sonhos.
Se não for por eles, se não por si, será por qual?
Abraça teus sonhos, não deixe voá-lo para longe. Deixa a insanidade ilógica tomar sentido.
Deixa teus sentidos tomarem a lógica. A razão absoluta é errônea e as certezas são reservadas aos seres oniscientes e perfeitos de suas percepções. Não seja essa perfeição, deixe ser e será.
Só mais um pouco de sono, mais um pouco de sonho.

2 comentários:

  1. Otimo texto....é um orgulho ter um amigo "filosofeiro"...rsrs

    ResponderExcluir
  2. Enquanto o Papo Reto não volta vamos tocando as coisas aqui http://clock-up.forum-livre.com/forum.htm

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget